Published on 27 October, 2022

O Secretário-Geral da OPEP, S.E. Haitham Al Ghais visitará Angola e proferirá um discurso de abertura no Angola Oil and Gas 2022

Famoso pela sua vasta experiência nos sectores da energia e do petróleo tanto no Kuwait como internacionalmente, o recém-nomeado Secretário-Geral da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (OPEP), S.E. Haitham Al Ghais, participará na Conferência e Exposição Angola Oil & Gas (AOG) 2022 deste ano, que terá lugar a 29-30 de Novembro e 30 de Dezembro em Luanda.

 Bem respeitado tecnocrata do petróleo e conhecida figura no espaço da OPEP, S.E. Al Ghais trouxe uma grande riqueza de experiência ao seu novo cargo de Secretário-Geral da organização intergovernamental, ostentando um fundo nos sectores da energia e do petróleo, bem como na diplomacia internacional.

“Temos a grande honra de anunciar a participação de S.E. Haitham Al Ghais no evento AOG deste ano, um homem cuja inestimável perícia e perspectiva dentro do espaço energético internacional é incomparável”, comenta Miguel Artacho, Director da Conferência Internacional Capital energético e energia, acrescentando, “S.E. o Secretário-Geral Al Ghais é uma adição imensamente valiosa à nossa lista de líderes energéticos globais, com a sua participação demonstrando o compromisso da OPEP em trazer segurança energética a África”.

 Após a sua nomeação como Secretário-Geral da OPEP, S.E. Al Ghais em Agosto declarou a sua intenção de visitar Luanda em apreço pelo apoio de Angola durante a sua eleição, indicando que a organização continuará a ajudar o país a orientar melhor o seu mercado de petróleo e gás.

De regresso à sua terceira edição à capital angolana, Luanda, a AOG 2022 terá lugar sob os auspícios do Ministério dos Recursos Minerais, Petróleo e Gás do país, e em parceria com o concessionário nacional de Angola, a Agência Nacional do Gás Petrolífero e Biocombustíveis (ANPG); a AIDAC; e a Câmara Africana de Energia.

AOG 2022 é a principal plataforma para abordar as questões mais prementes no mercado energético do país, uma vez que se esforça por travar o declínio da produção, expandir e promover a exploração e novas descobertas, assegurando ao mesmo tempo a participação da sua população no seu motor económico central e alcançando a independência do combustível através de investimentos de grande escala na sua capacidade de refinação.

 Espera-se que a participação da OPEP durante este evento incentive o investimento e incentive um ambiente favorável às empresas e aos principais governos da região a colaborarem durante os três dias de negociações e sessões de trabalho em rede da conferência, trazendo assim valor ao mercado angolano do petróleo e do gás.

X
X